terça-feira, 4 de novembro de 2008

Das horas felizes


Acordar espontaneamente, quando o sono acabar.

Tomar um banho gelado no calor ou um bem quente no tempo frio e começar o dia sutilmente perfumada.

Tomar um café de manhã.

Ouvir uma música boa no caminho para o trabalho.

Trabalhar com doses homeopáticas de risadas.

Ouvir o barulhinho da chuva antes de dormir.

Ler um trecho de um bom livro antes de dormir.

Ler. Sempre.

Escrever, buscar inspiração e não deixá-la escapar.

Passar o perfume preferido e se sentir poderosa.

Um chocolate em momentos drásticos.

Um vinho tinto com alguém especial...

Adoro o por-do-sol. A lua... cheia, crescente, minguante, nova... a sua luz!

Adoro a noite. Nela existo, sou, respiro, vivo.

Gosto de música. Muito. Vários estilos. Mas música boa, que faça bem à alma, ao corpo ou ao coração. Ou a tudo junto.

Gosto de filmes. Cinema! Tela grande, pipoca e colo de namorado.

Beijo, demorado e de tirar o fôlego.

Abraço, apertado, daqueles que não se sente vontade de largar.

Sentir o perfume daquele que demora, mas vem. E guardá-lo na memória, pra quando estiver longe.

Gosto de conversar. Muito, com muita gente. Com mãe, amiga, irmão, irmãe, namorado, sobrinho, sobrinha, colega, cliente, estranho, idoso, criança.

Gosto de dirigir. E tenho procurado dirigir minha própria vida.

Gosto de escrever (percebe?). Qualquer coisa, poema, prosa, tudo isso ou nada disso.

Gosto de internet (até demais)... E nem sempre tenho resultados produtivos com essa danadinha... rs...

Gosto de parêntesis (mesmo?), de reticências... rs... de ironias... (sério?)... de brincadeiras.

Gosto de senso de humor. Explícito. Velado. Negro. Gosto do nonsense.

Gosto de gatos. Sua postura diante do mundo, sua ousadia, seu modo de conseguir o que quer. Gatos são quase humanos. Mas quase como poucos humanos. Poucos são dignos de tal comparação.

Gosto de fotos. Dos momentos esternizados por elas. Fotos auxiliam a memória, quando esta falha.
Gosto de gente que se gosta. Gente que sorri. Gente que ri de si mesmo. Gente que dá a mão.

Amo as sutilezas. Amo as palavras. Amo a feliz combinação das duas coisas.

Amo a cor vermelha. Pra mim, vermelho é vida. Fogo, amor, paixão, desejo, romance, energia.

Sou uma romântica incurável!

Sonho com tulipas vermelhas.

Gosto de incenso e luz difusa.

Gosto muito, de muita coisa.

Amo a vida, apesar e além de tudo.

Nela está meu mundo, meu destino, minha missão.

Amo as coisas simples, mas gosto das coisas chiques... rs...

Amo o vento no meu rosto, o frio que arrepia... o calor da pele amada.


Sentir borboletas na barriga, quando me pego apaixonada.

Amo o que há de bom e belo, pois bondade e beleza vem do coração.









* Foto retirada de um outro blog, só não me lembro qual... plaft!

* Este post poderia se intitular "Das coisas que eu gosto", como prometido à Ágata, mas creio que tudo que gostamos, nos faz de alguma forma felizes.


Sinto que ainda falta muito... mas por hoje está mais que bom!!!





Boa noite... 23:52 ... hehe... Esqueci que trabalho amanhã... rsrs...

Beijos aos leitores amados =)

5 comentários:

Érica disse...

E é por isso que a vida é maravilhosa, uma verdadeira dádiva divina...pela beleza especial que está nas coisas simples e também pela simplicidade de coração de pessoas como vc...

Amei o post! Está deveras inspiradas!!! rsrs
Bjoss

Élida disse...

excelente texto, Cleonice... realmente, vc é uma moça inspirada...

beijos!

Élida

Bruna Rafaela Coelho disse...

Amei seu blog! E obrigada por visitar o meu! Abraços...
www.rafaelacoelho.zip.net

Ágata disse...

Ver o vermelho no vento...
Ah... Ventre que vira coração e o dispersa em pedaços...

Voláteis no vôo vibrante e vivo, visceral.

Abrem as asas em expansão escarlate!



... como as tuas, abertas agora...

Cleonice Braz disse...

Palavras para palavras!
As tuas são perfeitas, Ágata!

Obrigada!