segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Sobre delicadezas




Eu sinto uma falta imensa de coisas e atitudes delicadas no cotidiano.
Até mesmo partindo de mim... tem dias que não sou nada delicada, nem sutil.
Mas de vez em quando encontro pessoas, textos, coisas, que me fazem relembrar quão essencial é a delicadeza na nossa vida.
Daí você me pergunta: "Mas que porra de delicadeza você tá falando???" Tá, desculpem o palavrão, mas não é assim que o mundo tem sido? Áspero. É. Assim mesmo.
Daí eu te respondo: To falando de momentos onde se expressa o que sentimos pelo outro.
Por exemplo: Eu amei acompanhar a etapa final da minha amiga Mary antes do casamento dela. Sim, é piegas. Mas e daí? É emocionante. Eu me importo com ela, e foi um momento onde demonstrei o meu carinho e minha amizade (olhem o buquê, que lindo).
Posso citar muitos outros exemplos de atitudes delicadas que tenho presenciado e vivido, lamento que não sejam tantas quanto gostaria, mas meus últimos dias tem sido belos...
É bonito recostar no ombro do homem que me faz feliz, num domingo à noite.
É bonito conhecer um casal divertido e afetuoso e imaginar que uma amizade das boas vem por aí.
É bonito compreender e aceitar o outro, que é maravilhosamente imperfeito.
É bonito compartilhar músicas e textos que tocam o coração, mesmo que estes sejam tristes.

É bonito, é delicado, é sutil.

É felicidade.

Quero mais disso. "Quero sempre mais". Quero delicadezas e felicidade sem medida.


Beijo.

5 comentários:

Lora Pontes disse...

Keo, eu também sinto falta de delicadeza e sensibilidade por parte de muita gente, inclusive minha. Sinto falta de poder chorar assistindo um filme sem parecer ridícula aos olhos dos outros. Sinto falta de poder ser simpática com os outros, sem parecer "estar dando mole".
Viva a delicadeza!!!! Viva os sentimentos nobres!!!!

Saudades de vc amiga!!!!!!!

Beijos

Dexter Troy. disse...

A delicadeza está nos pequenos detalhes. Lá que reside também o carinho, o amor e a felicidade.

Rodrigo Passos disse...

é verdade! linda reflexão!

Vítor Palmeiras disse...

Eu acho que sou piegas as vezes.

Mas o certo é ser áspero não é?

AJ disse...

Adorei o texto falando sobre estas pequenas coisas que nos fazem felizes.
Ao ler senti um pouco da sua felicidade!
Obrigada,
Até breve :)
Beijo.