sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

"C'est la vie"...



Olá...

Há dias em que não queremos falar das coisas que nos cercam, das pessoas que convivem conosco, dos livros que lemos... estou num desses dias... cansada das coisas...
Hoje não falarei de livros, não porque não tenha nenhum pra comentar, mas porque estou com vontade de me guardar em mim mesma, esconder-me do mundo...
Bom, mas já que comecei, vamos à algum lugar...
Quando estava na faculdade, li "Édipo Rei" inúmeras vezes, uma porque precisava, outras pelo prazer de ler. Na história, Édipo mata seu prórprio pai, o rei e se casa com Jocasta,sua mãe, sem ter conhecimento nem consciência de nada disso. Quando descobre, tem o momento de revelação, a tomada de consciência, chamada "catarsis", ele se desespera... machuca seu olhos para perder a visão, pra nunca mais ver as desgraças que causou, mas nunca mais tem descanso, fica atormentado por seus fantasmas...

É essa a questão... todos temos fantasmas... E os meus estão me atormentando... sempre me atormentam... e nesses últimos dias tive momentos "catárticos" (se é que se pode falar assim)...
Tomei consciência de muitas coisas... das coisas que fiz, das que deixei de fazer... do por que de muitas coisas... e descobri que não estou feliz... e descobri também que minha felicidade depende exclusivamente de mim mesma...
É isso aí.
Não ia falar, mas falei. Como sempre, falo demais. Aiaiaiaiai...


Poema atribuído a Pablo Neruda, mas não sei ao certo...


Por las montañas vas como viene la brisa
o la corriente brusca que baja de la nieve
o bien tu cabellera palpitante confirma
los altos ornamentos del sol en la espesura.

Toda la luz del Cáucaso cae sobre tu cuerpo
como en una pequeña vasija interminable
en que el agua se cambia de vestido
y de canto a cada movimiento transparente del río.

Por los montes el viejo camino de guerreros
y abajo enfurecida brilla como una espada
el agua entre murallas de manos minerales,

hasta que tú recibes de los bosques de pronto
el ramo o el relámpago de unas flores azules
y la insólita flecha de un aroma salvaje.


P.S. 1 : Queria instituir a quarta-feira como dia da atualizção, mas não deu... talvez atualize mais rápido da próxima vez... vou consultar meus fantasmas... rsrsrs...
P.S. 2 : A foto aí em cima, presente da minha primamiga Rj, ilustra o estado de espírito... e os gatinhos não podiam faltar... Amo muito!!

Beijo no coração...
Hasta la vista...

2 comentários:

Adriano Sousa disse...

Oi!

susie soares disse...

querida cleonice, obrigada pela visita no meu blog. Gostei do seu tambem. Au revoir.